Conexão do agronegócio com a internet demanda um alto investimento, aponta simulação

A agricultura digital se tornou indispensável para o setor do agronegócio, mas a conectividade com a internet não chega para a maioria dos produtores rurais. O Ministério da Agricultura estima que apenas 30% do espaço agrícola possui algum nível de cobertura de dados, como a internet 4G, mas a maioria só tem conexão nas sedes das fazendas.


Dados semelhantes são revelados pelo Censo Agropecuário do IBGE, que mostram que 3,64 milhões de propriedades rurais não possui acesso à internet, o que representa 71,8% do total de 5,07 milhões de propriedades.


“A viabilidade econômica das propriedades rurais requer aplicação de tecnologias e a adoção de pacotes cada vez mais dependentes de conectividade e automação, mas as longas distâncias e a baixa densidade populacional tornam essas áreas menos atrativas para operadoras de internet privadas e, ainda, demandam um alto custo de investimentos por parte dos produtores e do poder público”, afirmam os especialistas da Esalq, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da USP.


As operadoras e o governo federal não têm uma estimativa de quanto custaria para conectar toda a área do agronegócio, mas em uma simulação realizada pela Globo, o custo para isso estaria entre R$ 3,9 bilhões e R$ 7,98 bilhões, no caso da solução oferecida pelo ConectarAgro, uma associação que reúne nove empresas de operadoras e mais 24 apoiadora.


Outras soluções, como a do Campo Conectado, uma parceria entre a John Deere, uma fabricante de máquinas e implementos agrícolas, e a operadora Claro, o custo estaria em torno de R$ 1,5 bilhão, porém esse valor não entra o investimento em torre, equipamentos e estruturas para levar o sinal ás propriedades.


Fonte: https://globorural.globo.com/Noticias/Pesquisa-e-Tecnologia/noticia/2022/08/conectividade-no-agro-quanto-custa-levar-internet-fazenda.html

11 visualizações0 comentário