Ficar sem branding é ainda pior do que ficar sem aporte, afirma especialista

Com a crise no mercado de tecnologia, criar relações com os consumidores e construir uma marca com diferencial são tarefas que deveriam ficar em primeiro plano, pois são tão importantes quanto ter um produto único.


Jader Rosseto, fundador da Reborn Yourself e do fundo de venture capital Fintech Revolution, afirma que apenas 1% das startups brasileiras investem e sabem fazer branding. "Todos os dias startups lançam vídeos iguais, com as mesmas cenas de bancos de imagens apoiadas por textos medíocres e confusos. E ainda esperam que o público seja comovido. Quem se encanta com mais do mesmo? Com campanhas feias e peças publicitárias de quinta categoria?", questiona.


Segundo Jader, as startups estão vivendo um pesadelo muito maior do que a falta de aporte: o esquecimento. Para ele, as startups fazem produtos inovadores, mas negligenciam a força de um marketing efetivo.


"Esqueceram de investir na marca e agora correm o grande risco de serem esquecidas", afirma Jader. "Uma nova startup surge e passa a fazer a mesma coisa que a sua. E agora você não tem mais diferencial algum, porque não marcou território no único lugar onde qualquer empresa pode sobreviver e ir além: a memória dos clientes", acrescenta.


Crédito: NeoFeed


Para Jader, a criatividade precisa ser a maior aliada dos negócios em momentos de crise, pois só as ideias originais sobrevivem aos ambientes mais difíceis.


Fonte: https://neofeed.com.br/blog/home/acordem-startups-nao-ter-marca-pode-ser-um-pesadelo-pior-do-que-nao-ter-dinheiro/

25 visualizações0 comentário