HackatAgro se consolida como solução para acelerar a digitalização do agro brasileiro

Segurança no campo, gestão efetiva da proteção de cultivos, geração de créditos de carbono, adequação das propriedades rurais às metas de sustentabilidade, soluções tecnológicas para o manejo sustentável do solo. Esses foram alguns dos diversos desafios lançados pelo HackatAgro e seus parceiros, desde 2019, a jovens empreendedores e startups interessados em contribuir com a digitalização do agronegócio brasileiro. O projeto tem se revelado um sucesso.


"Há três anos, diante das oportunidades de digitalização do meio rural, tivemos a ideia de ajudar a acelerar esse processo, atraindo os participantes dos ecossistemas de inovação para esse setor, tão importante para a economia e a sociedade brasileira", afirma Alberto Meneghetti, CEO da Neodigital, agência de marketing e comunicação focada no agronegócio e realizadora do HackatAgro.


O primeiro desafio, realizado em 2019, de forma presencial, na Tecnopuc – vinculada à Pontifícia Universidade Católica (PUC) gaúcha –, teve o apoio de diversas entidades e empresas, e mais de 200 participantes. Nos anos seguintes, mais hackathons – as maratonas em que programadores se reuniam para estudar temas específicos e desenvolver ideias – foram realizados, atingindo um total de mais de 1 mil participantes nestas competições.


"Como a primeira experiência deu muito certo, foi natural a continuidade e expansão deste movimento, pois vimos nessas maratonas um potencial de ajudar a resolver os problemas enfrentados por produtores rurais brasileiros. A adesão nos surpreende a cada edição, atraindo empreendedores, estudantes e empresas das mais diversas regiões do país", comenta Donário Lopes de Almeida, idealizador do HackatAgro.


O projeto tem evoluído. No ano passado, por exemplo, o "cotista ouro" de cada desafio passou a ter garantido o direito de definir o tema dos hackathons, estimulando os participantes a resolverem problemas que estão dentro das preocupações estratégicas destas empresas. O assunto é abordado desde antes das maratonas, por meio de webséries, podcasts e campanhas de comunicação. Tudo isso, claro, também inclui uma premiação especial aos vencedores.


Desde o seu surgimento, o HacktAgro já contou com o patrocínio de importantes empresas, como o Banrisul, Claro, Yara, New Holland, Kepler Weber, Amaggi, e uma longa lista de entidades envolvidas no ecossistema da inovação brasileiro. Em 2022, que já teve seu primeiro hackathon – sobre manejo susentável do solo – o Desafio Banrisul atraiu 270 empreendedores, um número recorde. O problema proposto pela instituição financeira resultou em 35 projetos, sendo que o vencedor idealizou o uso de sensores e algoritmos para gerar informações no campo.


"O HackatAgro é muito mais que um hackathon: é geração de informação e de conteúdo inovador", salienta o CEO da Neodigital. "Estamos aplicando ao projeto o conceito de branding, adicionando uma questão comunicacional a um evento essencialmente digital e de tecnologia. Essa interação está na raiz da Neodigital, que surgiu como uma agência de publicidade que pensa exclusivamente no marketing digital voltado ao agronegócio."


Para Meneghetti, o mundo está passando por uma rápida transformação digital, e o campo não pode estar fora dessa realidade. "O produtor rural e as empresas do Agro estão passando do universo analógico para o digital, ponto de chegada onde já está o DNA da agência Neodigital. Queremos potencializar isso, auxiliando as empresas a implantarem esses mecanismos de digitalização, especialmente na comunicação, que é uma das áreas mais afetadas por esse processo."


Para saber mais sobre o HackatAgro, acesse: www.hackatagro.com.

9 visualizações0 comentário