Novo robô agrícola usa Inteligência Artificial no controle de ervas daninhas

O capinador autônomo da Carbon Robotics poderia em breve substituir o controle de ervas daninhas por lasers de alta potência, eliminando até 100.000 plantas por hora


Robôs! Quer você os ame ou tema, você não pode negar que eles são muito úteis. Um desses robôs é o capinador autônomo da Carbon Robotics.


De acordo com a página do site da empresa, o robô "aproveita a robótica, a inteligência artificial (IA) e a tecnologia a laser para conduzir com segurança e eficácia nos campos de cultivo para identificar, mirar e eliminar ervas daninhas"


“Ao contrário de outras tecnologias de remoção de ervas daninhas, os robôs utilizam lasers de alta potência para erradicar ervas daninhas por meio de energia térmica, sem perturbar o solo. Os robôs automatizados permitem que os agricultores usem menos herbicidas e reduzam o trabalho para remover plantas indesejadas, melhorando a confiabilidade e previsibilidade de custos, rendimento da colheita e muito mais.”


Como exatamente isso funciona?


As ervas daninhas roubam a luz solar, usam nutrientes do solo e tornam mais fácil para as pragas de insetos prejudicarem as colheitas. Normalmente, as ervas daninhas são arrancadas à mão, mas está cada vez mais difícil encontrar pessoas dispostas a fazer esse trabalho, ou combatidas com agroquímicos, o que representa um custo de manejo e impacto ambiental.


Aí vem o capinador autônomo. Ele anda graciosamente nas fileiras das lavouras e usa 12 câmeras para capturar imagens do solo e das plantas. Em seguida, um computador usa inteligência artificial (IA) para identificar as ervas daninhas perigosas. Uma vez localizadas, o capinador autônomo começa a matá-los usando raios laser. Nada mal para um robô!


O robô é tão eficiente que pode remover mais de 100.000 ervas daninhas por hora e eliminar ervas daninhas de 5 a 10 hectares de plantações em um dia. Essa tarefa levaria semanas para os trabalhadores fazerem o processo manual, ou um grande dispêndio de tempo e produtos químicos para efetivar este controle.


Qual é a limitação? O robô é muito caro. Ainda não temos números exatos, mas o CEO da Carbon Robotics, Paul Mikesell, disse ao Seattle Times que custa "centenas de milhares de dólares".


No entanto, se você adicionar os custos dos trabalhadores e manejos de controle químico ao longo do tempo, o robô poderá se pagar em dois a três anos. Talvez seja por isso que esteja se tornando um item tão popular. “Temos mais solicitações de máquinas do que podemos atender”, acrescentou Mikesell.


Fonte: Adaptado de Interesting Engineering (Loukia Papadopoulos)

42 visualizações0 comentário