• karennunesjornalis

Projeto HackatAgro anuncia novidades na edição 2021

Atualizado: há 5 dias



O HackatAgro é um movimento em prol da digitalização do Agro e, desde 2019, vem buscando sensibilizar o ecossistema da inovação para o desenvolvimento de soluções tecnológicas para o campo. Reunindo produtores, startups, investidores, empresas e entidades que buscam acelerar o processo de digitalização do agronegócio. O sucesso das últimas duas edições fortaleceu ainda mais o projeto, que neste ano ganha proporções ainda maiores, grandes parceiros e apoiadores, além de muitas novidades.


Segundo Donário Lopes de Almeida, idealizador do movimento, “o objetivo do HackatAgro é engajar o mundo do Agro nesta grande jornada da transformação digital, e oportunizar ganhos reais para as cadeias produtivas do setor em termos de produtividade, eficiência, sustentabilidade e maior renda para os produtores rurais”. O movimento que teve apoio inicial da Comissão de Inovação da FARSUL, Federação da Agricultura do RS, agregou parceiros de peso ao longo do tempo e está ampliando sua atuação em novas fronteiras, com um maior impacto na jornada de desenvolvimento de startups e tecnologias.


Para que novos empreendedores lancem as suas soluções e melhorem a vida do produtor, é necessário parceiros que invistam nas ideias. Em todas as edições o projeto sempre contou com grandes parcerias para impulsionar a tecnologia no agro. E neste ano, não é diferente. Além dos apoiadores tradicionais, já confirmaram presença novos parceiros, como a Amaggi, uma das maiores empresas da América Latina no ramo de produção e processamento de grãos; a Claro, uma das grandes operadoras de soluções em telecom e conectividade, com mais de 67 milhões de clientes, a Yara, líder mundial em nutrição de plantas e reconhecida entre as que mais são responsáveis pelas transformações digitais no ambiente corporativo e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), centro de ensino e pesquisa em educação, ciência e tecnologia, criado em 2003 pela Itaipu Binacional. São empresas que têm procurado expandir parcerias com outras empresas e startups do agronegócio e engrandecem o HackatAgro.


Além destes novos parceiros, o projeto conta com várias marcas como Banrisul, empresa que tem projetos consistentes de atuação no agronegócio e participa do movimento desde a sua primeira edição em 2019. E não são somente empresas e marcas tradicionais que apoiam o projeto, entidades como SENAR, SEBRAE, EMATER, Anjos do Brasil, Associação do Angus, e representantes da Academia, como a Unijuí, UPF, UFSM, UFRGS e o Tecnopuc, também acreditam e participam do HackatAgro.


Para Alberto Meneghetti, CEO da Neodigital, agência que produz e cria as ativações do projeto desde 2019, a plataforma ganha consistência a cada edição. “O HackatAgro é muito mais que um projeto de conteúdo. É um movimento que traz e discute a inovação para todos os atores do ecossistema do agronegócio brasileiro.”


Segundo ele, o Brasil é o quarto maior mercado digital do mundo e o agronegócio tem apostado muito na chamadas Agtechs, que são as startups que se propõe a resolver os grandes desafios do setor. “Este ano, estamos projetando a realização de três hackathons focados no agro, que são verdadeiras maratonas de inovação, reunindo centenas de startups, concorrendo a prêmios e mentorias exclusivas”, comenta o CEO.


MUITO MAIS CONTEÚDO


Além dos hackathons previstos, o HackatAgro 2021 também disponibilizará muito conteúdo estratégico para sua comunidade e seu público-alvo, formado por produtores, startups Agtechs, investidores, empresas e entidades. Esta maratona de ações inclui a produção de uma websérie com 10 episódios, grandes debates no formato de podcasts, webinars técnicos com especialistas e muito conteúdo em um portal de notícias renovado na internet. São mais de 200 horas de conteúdo programadas, totalmente em formato digital.


Para Meneghetti, as Agtechs estão se tornando cada vez mais numerosas, somando mais de duas mil focadas no agronegócio. Isso reflete o grande peso do agronegócio na economia brasileira. “O nosso desafio, este ano, é continuar promovendo e discutindo sobre a inovação no Agro e fazer com que os produtores rurais enxerguem as vantagens e os benefícios que a agricultura digital pode trazer para o seu trabalho no campo. Para alimentarmos um planeta cada vez mais faminto, é fundamental que se produza mais e melhor, sempre de olho na sustentabilidade e na preservação do meio ambiente. E a maior produtividade está diretamente ligada à tecnologia”, finaliza o CEO.

137 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo