Startup vai precificar grãos em tempo real


Uma agtech criada em Uberaba (MG) fechou acordo inédito com a Bolsa de Chicago (CME) e vai oferecer a opção de precificação no mercado físico de grãos com base na derivação em tempo real das cotações das commodities agrícolas na CBOT.


O cálculo dos preços finais passa a ser em tempo real para commodities como soja e milho. O serviço “clicou, fechou” é oferecido pela startup Grão Direto e garante agilidade na compra e venda de grãos e melhor governança no fechamento dos negócios.


Para isso o sistema considera diversos aspectos logísticos, destino dos grãos, regionalização, perfil dos negociantes e diversos outros aspectos para realizar uma precificação totalmente parametrizada, automática e personalizada para cada fazenda, produtor rural ou armazém. Já foram negociadas 100 mil toneladas por meio da nova solução. Com seu lançamento oficial, as projeções de crescimento são de multiplicar esse volume por 10 em 2021.


"Produtores rurais habilitados podem acompanhar em tempo real os preços no mercado físico disponibilizados pelos compradores que utilizam nosso serviço. Em questão de poucos minutos, ou até segundos, um negócio pode ser fechado e formalizado em uma experiência 100% digital e totalmente segura, desde a negociação, passando pela integração com o hedge do comprador, até o contrato digital assinado entre as partes. É um novo patamar! Estamos efetivamente aproximando o mercado financeiro do mercado físico e com isso inúmeras novas oportunidades estão surgindo.", conta o CEO da Grão Direto, Alexandre Borges.


O desenvolvimento tecnológico levou quatro meses e foi feito integralmente no Brasil.

“Esta combinação de agricultura, tecnologia, mercado financeiro, logística e tantas outras variáveis é um diferencial. Só assim foi possível desenvolver tão rapidamente esta solução e termos um nível de excelência que nos permite hoje colaborar com a Bolsa de Chicago", conta Frederico Marques, líder do time de tecnologia da Grão Direto.

Para a CME, o acordo é uma oportunidade para apoiar aos clientes globais. "Estamos satisfeitos que os dados do mercado de commodities líderes da indústria do CME Group irão alimentar esta nova ferramenta inovadora para os usuários do mercado brasileiro de grãos", disse Trey Berre, Chefe Global de Serviços de Dados do CME Group.


No final do ano passado, foi realizado um piloto de três meses. Uma das quatro maiores tradings do mundo e produtores rurais selecionados em três estados brasileiros participaram dos testes. O objetivo era validar pontos como a precificação em tempo real, a conectividade com a Bolsa de Chicago, a usabilidade do sistema e colher feedbacks dos usuários.


Nas quatro filiais selecionadas pela trading, os negócios digitais atingiram no final do período mais de 70% do volume total de negócios. Os usuários destacaram a facilidade de acompanhamento das transações por meio da plataforma.

"É possível acompanhar mais de 10 localidades em tempo real, identificar a melhor oportunidade e fechar o negócio imediatamente", afirma Jean Becklim, da Futura Agronegócio, também sediada em Minas Gerais.

Os preços de mercado das commodities podem mudar em questão de segundos em um dia de negociação, por isso as informações em tempo real do CME Group são uma variável essencial para o cálculo dos preços no mercado físico.


Fonte: Agrolink



72 visualizações0 comentário